Início / Agricultura / UE aumenta taxas aduaneiras às importações de arroz do Cambodja e Mianmar

UE aumenta taxas aduaneiras às importações de arroz do Cambodja e Mianmar

A Comissão Europeia acaba de instituir medidas de salvaguarda relativamente às importações de arroz índica originário do Cambodja e de Mianmar, cujos preços são relativamente baixos.

A partir de amanhã, 18 de Janeiro, será reinstituído o direito aduaneiro normal aplicável a este produto, que ascenderá a 175 euros por tonelada no primeiro ano e será gradualmente reduzido. Tudo para proteger os produtores da União Europeia.

Explica o Regulamento de Execução (UE) 2019/67 da Comissão de 16 de Janeiro de 2019, em 16 de Fevereiro de 2018, a Comissão recebeu um pedido de Itália. O pedido solicitava a adopção de medidas de salvaguarda relativamente ao arroz de tipo índica originário do Cambodja e de Mianmar.

Outros Estados-membros da União produtores de arroz, designadamente Espanha, França, Portugal, Grécia, Roménia, Bulgária e Hungria, apoiaram o pedido apresentado por Itália.

Preços causam dificuldades graves à indústria da União

O pedido continha elementos de prova suficientes de que o arroz índica originário de Mianmar e do Cambodja era importado em volumes e a preços que causavam dificuldades graves à indústria da União.

A Comissão considera que as medidas devem ser estabelecidas por um período de três anos, a fim de permitir que a indústria da União recupere plenamente dos efeitos das importações provenientes do Cambodja e de Mianmar.

O direito aplicável em euros por tonelada do produto é de 175 euros no primeiro ano, 150 euros no segundo ano e 125 euros no terceiro ano a contar da data de entrada em vigor do regulamento.

Pode consultar o Regulamento completo aqui.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Montalegre: plano municipal de combate à vespa velutina já fez 13 mil capturas

A Câmara Municipal de Montalegre elaborou um Plano Municipal de Combate à Vespa Velutina, também …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.