Início / Agricultura / Sativa integra grupo Kiwa e revela novidades sobre novo regulamento de agricultura biológica

Sativa integra grupo Kiwa e revela novidades sobre novo regulamento de agricultura biológica

A possibilidade de certificação do sal marinho e da cortiça processada como biológicos é uma das novidades.

A Sativa, empresa líder na prestação serviços de certificação e controlo nas áreas agro-alimentar e florestal em Portugal, com mais de 8.000 clientes, anuncia a sua integração no grupo internacional Kiwa, passando a designar-se Kiwa Sativa.

A incorporação acontece no ano em que a Sativa completa 25 anos de actividade e foi revelada durante o “Encontro Técnico 25+ Sativa”, que reuniu perto de 400 pessoas, entre clientes e parceiros da empresa, em Torres Vedras, a 22 de Fevereiro.

“A integração da Sativa na Kiwa proporciona oportunidades de crescimento e desenvolvimento do negócio e, sobretudo, aumenta a capacidade de resposta aos pedidos dos nossos clientes. O nosso portefólio de serviços fica mais alargado e a capacidade de resposta directa é reforçada”, explicam António Mantas e Luísa Bastos, responsáveis da Kiwa Sativa.

Certificação de produção biológica

E acrescentam aqueles responsáveis que “passámos a ter equipas nossas qualificadas para auditar referenciais com acesso mais difícil como: o IFS FOOD; a certificação de produção biológica para alguns países com referenciais com mais restrições (por ex. Suécia ou Japão) ou módulos mais restritivos do GLOBALG.A.P., nomeadamente o exigido pela McDonald’s, só para citar alguns exemplos”.

A Kiwa Sativa continua a ser uma empresa portuguesa, com gerentes e técnicos portugueses, mantendo inalteradas as relações contratuais com os seus clientes.

Expansão internacional

A integração no grupo Kiwa permitirá também alargar a experiência internacional da Sativa, que já opera em mercados como o Brasil e a Itália, prevendo-se que aumente o número de colaboradores (actualmente são 46).

No “Encontro Técnico 25+ Sativa” foi abordado o Novo Regulamento Europeu da Agricultura Biológica, que entrará em vigor a 1 de Janeiro de 2021.

Certificação do sal marinho e da cortiça

A possibilidade de certificação do sal marinho e da cortiça processada como biológicos é uma das novidades. A Kiwa Sativa está preparada para responder aos pedidos de certificação e controlo que surjam neste âmbito, pela experiência adquirida através do seu referencial “Sal Marinho Artesanal”, com o qual já certificou mais de 25 produtores de sal em Portugal, e no âmbito da certificação florestal, tendo entre os seus clientes fábricas de rolhas de cortiça.

O novo regulamento europeu de AB é reflexo do aumento da produção e consumo de alimentos biológicos na UE e vem dar resposta à necessidade de reforço da confiança dos consumidores através de um sistema de controlo mais robusto.

Consumo de alimentos biológicos em Portugal representa apenas 0,8%

Pedro Barroso, proprietário da cadeia de supermercados biológicos Miosótis, um dos oradores do Encontro, sublinhou que o consumo de alimentos biológicos em Portugal representa apenas 0,8% do total do mercado alimentar, apesar do aumento da procura e do número de postos de venda. Cerca de 52% dos produtos biológicos consumidos no nosso país são adquiridos em lojas especializadas como a Miosótis.

No painel “Mais que produzir” ficou patente que as cadeias de supermercados estão a exigir aos seus fornecedores mais do que elevados standards de qualidade e segurança alimentar. A certificação da responsabilidade social é cada vez mais um requisito a que os produtores terão de dar resposta, podendo optar por módulos como o GRASP (Avaliação de Riscos de Boas Práticas Sociais) no referencial GLOBALG.A.P..

Auchan exige auditorias sociais aos clientes

O Auchan Retail, cliente da Kiwa Sativa, é um dos retalhistas que, desde há 2 anos, exige auditorias sociais aos seus fornecedores em Portugal, conforme revelou José Cordeiro, responsável desta cadeia de supermercados.

Prevê-se que a procura por certificação aumente em Portugal nos próximos anos em resposta à evolução do mercado, com os referenciais a exigirem regras cada vez mais apertadas.

Pedro Franco, director de qualidade do LIDL em Portugal, revelou na sua apresentação que 100% dos fornecedores nacionais do LIDL estão certificados e que partir de Março será admitida como mínimo a certificação IFS e BRC.

Certificação da sustentabilidade ambiental

A certificação da sustentabilidade ambiental das explorações agropecuárias é outra das tendências a nível internacional e um dos próximos requisitos poderá vir a ser a preservação da Biodiversidade.

O projecto europeu Life Food and Biodiversity, no qual participam investigadores portugueses do Instituto Superior Técnico (IST), quer desafiar os supermercados europeus a incluir nos seus referenciais de certificação as questões da biodiversidade.

Carlos Teixeira, do IST, revelou no “Encontro Técnico 25+ Sativa” que decorrem projectos piloto com os supermercados Continente e Intermarché e explorações de pecuária extensiva em Elvas e no Montijo, para implementação de medidas de conservação da biodiversidade do sistema agrosilvopastoril do montado.

Sede na Holanda

A Kiwa Sativa é uma empresa afiliada da Kiwa N.V., um grupo internacional sediado na Holanda e presente em mais de 50 países. Tem escritórios próprios na maioria dos países da Europa e da América Latina. Também está presente nos continentes asiático e africano e emprega cerca de 5.000 pessoas.

A Kiwa é líder em serviços de inspecção, certificação, testes de laboratório e formação, actuando em diversos mercados: agro-alimentar, florestal, água, transportes e mobilidade, energia, minas, combustíveis, segurança, entre muitos outros.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Abertas inscrições para Formação Técnica de Cereais

A Anpoc — Associação Nacional de Produtores de Proteaginosas, Oleaginosas e Cereais, o INIAV – …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.