Início / Mar / Ambiente / Projecto Eurocigua fez expedição às Selvagens para investigar ocorrência de ciguatoxinas

Projecto Eurocigua fez expedição às Selvagens para investigar ocorrência de ciguatoxinas

As Ilhas Selvagens, na Madeira, receberam no âmbito do projecto Eurocigua uma expedição entre os dias 3 e 10 de Setembro, com o objectivo de investigar a ocorrência de ciguatoxinas na cadeia trófica marinha.

A expedição foi liderada pelo IPMA – Instituto Português do Mar e da Atmosfera, pela Direcção Regional de Pescas da Madeira, e o Parque Natural da Madeira (IFCN — Instituto das Florestas e Conservação da Natureza).

Filipe Andrade (DRP Madeira) após captura de sargo veado e peixe-cão na Selvagem Grande.

Neurotoxinas naturais muito potentes

As ciguatoxinas são neurotoxinas naturais muito potentes que podem afectar o Homem após o consumo de peixe contaminado. Apesar de endémicas de zonas tropicais como as Caraíbas ou a Polinésia, verificaram-se já casos de intoxicação na Europa, em particular na Madeira e Canárias, refere fonte institucional do IPMA.

Lia Godinho (IPMA) a observar Gambierdiscus spp.

O projecto Eurocigua, co-financiado pela Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA) e coordenado pela Agência Espanhola de Segurança Alimentar (AECOSAN) e a ASAE, pretende actuar em 3 linhas: epidemiologia (que inclui a participação do INSA), caracterização ambiental (participação do IPMA e colaboração com a Direcção Regional de Pescas da Madeira e Parque Natural da Madeira -IFCN) e desenvolvimento de metodologias analíticas para detecção de ciguatoxinas em pescado (Universidade de Vigo e Laboratório Europeu de Referência para Biotoxinas Marinhas).

Hotspot da Ciguatera na Europa

“As Ilhas Selvagens parecem ser o hotspot da Ciguatera na Europa, há relatos de várias intoxicações quer na Madeira quer nas Canárias com peixe pescado nestas ilhas. As ciguatoxinas são produzidas por microalgas epifíticas (Gambierdiscus) e entram na cadeia trófica marinha através de peixes herbívoros, podendo atingir concentrações de risco para o homem em organismos do topo da cadeia alimentar marinha”, explica o IPMA.

A deslocação às ilhas Selvagens teve como grande objectivo a colheita de amostras de água para isolar e cultivar a microalga tóxica (Gambierdiscus spp), captura de peixe para posterior análise química (LCMSMS) e biológica (ensaios celulares) e purificação das ciguatoxinas.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

CIP organiza Congresso “Portugal: Crescimento ou Estagnação? A resposta está nas empresas!“

A CIP – Confederação Empresarial de Portugal realiza, no próximo dia 22 de Outubro, o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.