Início / Agricultura / Produção de leite amiga do clima e com bem-estar animal em debate em Esposende

Produção de leite amiga do clima e com bem-estar animal em debate em Esposende

A Aprolep — Associação dos Produtores de Leite de Portugal leva amanhã, 29 de Novembro, a Esposende, o debate sobre a produção de leite ecológica, amiga do clima e com bem-estar animal. Cerca de 400 agricultores, investigadores e técnicos do sector leiteiro são esperados para a edição 2020 do Colóquio Nacional do Leite.

Um evento organizado pela Aprolep, em colaboração com a AJADP — Associação dos Jovens Agricultores do Distrito do Porto, com o apoio da Caixa de Crédito Agrícola e de várias empresas de referência na prestação de serviços aos agricultores e produtores de leite.

Não podem ser só os agricultores a pagar a factura e as vacas a ficar com a culpa do aquecimento global, diz o presidente da Aprolep

“Como valorizar a erva na produção de leite?”, “Bem-estar Animal e a imagem da produção de leite”, “Criar vacas e produzir leite num ambiente sustentável” e “O desafio de comunicar agricultura” serão os temas abordados e debatidos com os participantes através de novas tecnologias, sendo as questões enviadas por messenger e SMS.

Produção agrícola favorável ao clima

Para o produtor de leite e presidente da Aprolep, Jorge Oliveira “a sociedade quer uma produção agrícola favorável ao clima, mas as leis nesse sentido têm de ser discutidas e aplicadas em cooperação com os agricultores. O armazenamento de carbono, a biodiversidade, a fertilidade do solo, o controlo de inundações e erosão são contributos da agricultura para o ambiente, mas é preciso um pagamento justo dos custos desse trabalho, através do preço do leite ou ajudas financeiras da nova PAC. Não podem ser só os agricultores a pagar a factura e as vacas a ficar com a culpa do aquecimento global”.

No mesmo sentido, Miguel Silva, jovem agricultor e presidente da AJADP, alerta que “intervenções recentes em relação aos bovinos e à libertação de metano só causaram alarmismo e desconfiança entre agricultores e a sociedade” e acrescenta que “os baixos preços do leite não encorajam os jovens agricultores a assumir o futuro da produção de leite”, sendo importante que o Estado “deixe de exigir o aumento da produção para aprovar projectos e os principais indicadores de valorização das candidaturas sejam o equilíbrio ambiental das explorações e bem-estar animal”.

Economia circular

Durante o colóquio, os investigadores convidados vão partilhar com os técnicos e agricultores os resultados mais recentes dos seus projectos sobre utilização de recursos locais, economia circular, gestão de efluentes, balanço de nutrientes e redução de fertilizantes químicos, redução de emissão de gases com efeito de estufa, aumento do sequestro de carbono nas pastagens e evolução do bem-estar animal na produção de leite, à luz da ciência e investigação.

Falta de conhecimento da população urbana

A Aprolep e a AJADP consideram ainda que este trabalho de investigação agronómica e zootécnica, “realizada longe dos holofotes mediáticos”, precisa de ser melhor comunicado.

“A falta de conhecimentos da população urbana tem sido aproveitada por oportunistas que envenenam a sociedade contra os agricultores para colherem benefícios para novas ideologias políticas ou alimentos artificiais, mais caros, que pretendem substituir a carne e o leite”, realça um comunicado da Aprolep.

Por isso “comunicar agricultura” será o último tema do colóquio e é um desafio que a Associação assume, porque quer “cultivar a terra, cuidar dos animais e alimentar a população de forma responsável, ecológica, amiga do clima e com o máximo de bem-estar animal à luz de critérios científicos”.

Oradores

A sessão de abertura será presidida pela Directora Regional de Agricultura e Pescas do Norte, Carla Alves, em representação da ministra da Agricultura e no encerramento estará presente a eurodeputada Isabel Carvalhais, bem como representantes de outros eurodeputados.

O colóquio começa com um pequeno-almoço lácteo e termina com um brinde ao leite, passando por um almoço com bifinhos de vitela.

O evento conta com o apoio da Caixa de Crédito Agrícola de Póvoa de Varzim, Vila do Conde e Esposende e como patrocínio de várias empresas: Syngenta, Solvenag, Sojagado, Coren, Agrovete, Genética 21, Nanta, Fertinagro, Torre Marco, Harker, Dekalb, Socidias, Fertiprado, de heus, Pioneer, Gondimil, Consulai, Feima, Farmopecuária , Magos Irrigation Systems e Revista Vaca Pinta.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Governo dos Açores promove formação a colaboradores do projecto Life Vidalia

A Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo dos Açores, através da Direcção Regional do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.