Início / Agricultura / Produção de cereais inferior a 200 mil toneladas

Produção de cereais inferior a 200 mil toneladas

O Instituto Nacional de Estatística (INE), nas suas previsões agrícolas, a 31 de Julho, espera uma produção de cereais inferior a 200 mil toneladas na actual campanha.

Explicam os técnicos do INE que as colheitas dos cereais de Outono/Inverno estão maioritariamente concluídas, tendo-se observado uma grande variabilidade nas produções alcançadas em função da aptidão dos solos onde foram instaladas e da época de sementeira.

Duma maneira geral, as searas de sequeiro encontravam-se rasteiras, consequência das elevadas temperaturas e escassa precipitação do mês de Março (que interromperam os processos de desenvolvimento vegetativo e induziram um espigamento precoce).

Menos trigo e cevada

A estimativa das produções aponta para diminuições, face à campanha anterior, no trigo (essencialmente devido à redução de área), no triticale e cevada (em resultado de uma menor área instalada e de menor produtividade) e na aveia (devido à menor produtividade).

O centeio, por ser produzido maioritariamente no interior Norte e Centro e não ter sido sujeito a condições meteorológicas tão adversas, deverá manter o nível de produção de 2018.

“De referir que, a confirmar-se este cenário, registar-se-á a quarta mais baixa produção destas culturas (depois dos registos de 2005, 2011 e 2012), com um valor abaixo das 200 mil toneladas, muito distante das produções alcançadas nas décadas de oitenta e noventa do século passado, anteriores ao desligamento das ajudas às culturas arvenses (entre 1986 e 1998, a produção média anual de cereais de Outono/Inverno foi de 1.551 mil toneladas)”, realça o INE.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Marinha: Resgatados três pescadores ao largo de Sines

O Centro de Coordenação de Busca e Salvamento Marítimo de Lisboa (MRCC Lisboa), em articulação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.