Início / Política / Ambiente / Poços e furos de água particulares de Barcelos altamente contaminados

Poços e furos de água particulares de Barcelos altamente contaminados

A Águas de Barcelos pediu ao Laboratório de Saúde Pública de Braga para analisar as captações de água do concelho. Resultado: 77% das captações de água analisadas estão altamente contaminadas.

Estes resultados, de diversas freguesias do Concelho de Barcelos, surgem da implementação de um plano de amostragem e de um conjunto de análises a dois parâmetros indicadores da qualidade microbiológica (coliformes totais e Escherichia coli), em águas de poços e furos dos munícipes presentes nas sessões de sensibilização “A Água da Rede Pública na Promoção da Saúde” promovidas pela Águas de Barcelos, em coordenação com as juntas de freguesias do concelho.

Das 159 captações de água particulares analisadas até à presente data (10 poços e/ou furos por freguesia), 77 % evidenciou a presença de um ou ambos indicadores seleccionados. A presença de microrganismos indicadores de poluição torna a água destinada ao consumo humano desaconselhada por estar associada a patologias de risco variável. A sua presença indica não conformidade para o fim a que se destina. Os resultados obtidos são reveladores do nível de contaminação do conjunto das águas analisadas.

Poluição das águas invisível à vista desarmada
A presença de bactérias coliformes constitui um indicador de que poderão estar também presentes bactérias patogénicas com origem no trato intestinal. As bactérias coliformes surgem tanto nos esgotos como nas águas naturais. As doenças associadas à presença de bactérias coliformes podem incluir febre tifóide, gastroenterites vírica e bacteriana e ainda hepatite A. (DSP-ARS N).

A bactéria E. coli (Escherichia coli), que está presente no trato intestinal e fezes de seres humanos e de animais de sangue quente, produz uma toxina muito nociva, podendo causar danos graves. A infecção causa diarreia, frequentemente com presença de sangue e dores abdominais. Normalmente não é acompanhada por febre. Os grupos de risco são as crianças com idade inferior a 5 anos, idosos e pessoas com doenças crónicas (USEPA).

A permanente circulação dos lençóis de água no subsolo e a sua elevada exposição a agentes contaminantes exigem um controlo regular, razão porque a água proveniente das captações particulares (poços e furos) não é segura. Para salvaguardar a saúde pública, é fundamental que a água de abastecimento cumpra os requisitos de qualidade para consumo humano. Por outras palavras, é fundamental que seja saudável.

A poluição das águas é frequentemente invisível à vista desarmada (ser transparente, leve e saborosa, não permite avaliar a sua qualidade). Só através do controlo analítico sistemático, é possível avaliar a conformidade com as normas de qualidade em vigor.

Sensibilizar as populações
As sessões sensibilização “A Água da Rede Pública na Promoção da Saúde”, que visam sensibilizar a população sobre a importância da água da rede pública na promoção da saúde, têm contado com a colaboração de um profissional de saúde, especialista na área e tiveram início em Novembro de 2012, com quatro sessões de esclarecimento no Campus do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA) destinadas a membros das juntas de freguesia e comunidade educativa.

Em Dezembro de 2012 deu-se início a um ciclo de sessões de sensibilização destinadas aos munícipes (um por freguesia) que se pretende levar a efeito a todas as freguesias do Concelho de Barcelos. Por sugestão de alguns presidentes de junta no decurso destas sessões de sensibilização, começou-se então a analisar previamente as águas de 10 poços/furos particulares de cada freguesia ou união de freguesias, nos dois parâmetros indicadores da qualidade microbiológica, coliformes totais e Escherichia coli, sob indicação da profissional de saúde participante nas sessões.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Estudo: notícias sobre alterações climáticas privilegiam discurso político ou técnico em detrimento da sociedade civil

As notícias sobre as alterações climáticas publicadas em Portugal e Espanha privilegiam o discurso político …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.