Início / Agricultura / MARL substitui toda a rede de iluminação por tecnologia Led

MARL substitui toda a rede de iluminação por tecnologia Led

O MARL — Mercado Abastecedor de Lisboa está a concluir o processo de substituição de toda a sua rede de iluminação do espaço público, abandonando a luz de “vapor de sódio” e fluorescente pela tecnologia “led – díodo emissor de luz”.

A par da iluminação pública, o MARL desenvolve processo semelhante no interior de todos os espaços cobertos que compõem a maior plataforma logística e de distribuição agro-alimentar do País.

Este processo, prestes a concluir-se, também motivado por óbvias razões de poupança financeira, é igualmente justificado pela responsabilidade de preservação ambiental assumida pelas empresas do Grupo SIMAB.

Poupança de 100 mil euros

“Prevê-se uma poupança anual estimada próxima dos 100 mil euros com a substituição do equipamento existente por esta solução “led”, ou seja, cerca de 770 Mwh/ano (770.000 Kwh); além do baixo consumo, que pode significar uma poupança de 80%, estamos a falar ainda de maior eficiência e da durabilidade do equipamento: uma lâmpada “led” pode durar entre 35 mil a 50 mil horas (ou oito a dez anos), o equivalente a 50 vezes mais do que uma lâmpada normal”, justifica Rui Paulo Figueiredo.

O presidente do conselho de administração do MARL e CEO do Grupo SIMAB faz questão de sublinhar ainda a maior robustez das lâmpadas, mas, acima de tudo, o facto de serem mais ecológicas, visto que não possuem metais pesados na sua constituição.

Plano de modernização

O procedimento em referência integra-se num substantivo plano de modernização do Mercado Abastecedor de Lisboa, que, além de colmatar a falta de investimento registada ao longo dos anos nesta infraestrutura pública, tem a pretensão de tornar o MARL mais moderno, com melhor qualidade de serviços, mais focado no cliente, “verdadeiramente um mercado de futuro”.

Este plano de modernização que a administração liderada por Rui Paulo Figueiredo se propõe levar a cabo nos próximos tempos implica um investimento da ordem dos quatro milhões de euros, designadamente no reforço dos sistemas de segurança (renovação do “cctv” e controlo de acessos), maior eficiência na utilização de recursos, melhor gestão da recolha de resíduos e limpeza de espaços comuns, instalação de rede de fibra óptica e de rede de dados única, reformulação do apoio ao cliente, novo mobiliário urbano, melhor comunicação interna e externa, entre outras áreas.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Remessas de emigrantes: Portugal continua em primeiro lugar na Europa

Os emigrantes portugueses continuam a liderar na União Europeia o envio de remessas para Portugal. …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.