Início / Política / Ambiente / Lisboa quer fim aos copos de plástico. Sodastream aprova e quer acabar com garrafas de plástico

Lisboa quer fim aos copos de plástico. Sodastream aprova e quer acabar com garrafas de plástico

A Sodastream “enaltece” as recentes notícias que apontam para uma proibição da venda de bebidas em copos de plástico descartável pela Câmara Municipal de Lisboa. Mas quer mais: o fim das garrafas de plástico.

Relembre-se que esta é já uma preocupação dos festivais de VErão, por exemplo, a Heineken, a cerveja oficial do NOS Alive 2017, distribuída em Portugal pela Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC), utilizou copos 100% de origem vegetal durante os 3 dias do festival, que decorreram entre 6 e 8 de Julho, no Passeio Marítimo de Algés (ver mais aqui).

Desde 2016 que os principais festivais de Verão em Portugal adoptaram uma política de copos reutilizáveis, pondo fim ao desperdício e ao lixo que os copos de plástico descartáveis representavam.

Câmara com Lisboa

A Câmara Municipal de Lisboa está a estudar, com o Governo, um conjunto de medidas restritivas da utilização de copos de plástico descartáveis para a venda de bebidas em estabelecimentos comerciais, que permitirão não só aliviar as consequências ambientais da actual prática como poupar recursos à autarquia com a limpeza das ruas.

Num momento que o plástico está “literalmente a destruir o planeta num ponto sem retorno, a Sodastream louva a discussão em torno de medidas urgentes que visem parar com o consumo de plástico”, refere um comunicado da empresa de distribuição de água.

Desafia inclusive, à discussão sobre o alargamento desta proibição também às garrafas de plástico e que essa proibição não fique circunscrita à cidade de Lisboa. Neste contexto de discussão sobre o futuro de Portugal no que ao plástico diz respeito, a Sodastream desafia a indústria de água engarrafada e os grandes retalhistas a responder à questão “até quando vai o planeta aguentar?”.

Não recicláveis

“A Sodastream não esquece o falso argumento que a indústria de água engarrafada tem vindo a promover e que tem de ser esclarecido também em Portugal. Perante o incontornável malefício do plástico para o planeta, as empresas que compõem a indústria de água (e bebidas) engarrafada atestam que as suas garrafas de plástico são recicláveis. Contudo, a maioria das 200 mil milhões de garrafas de plástico compradas todos os anos não são recicladas” afirma João Castro COO da Cleverhouse, representante da Sodastream em Portugal.

Relatórios do EurActiv referem que apenas 23% das embalagens plásticas são recicladas em França. A média de reciclagem na Europa é também de apenas 29,7%. Adicionalmente, importa referir que a reciclagem reduz apenas uma parte da pegada de carbono produzida pelo transporte/distribuição, processamento e produção destas garrafas e, de acordo com a The Carbon Trust, reduz a pegada de carbono de uma garrafa de plástico em apenas 20%.

“A reciclagem não elimina o devastador efeito que as garrafas de plástico trazem”, salienta a mesma nota da Sodastream.

Plástico está a matar o planeta

Para os responsáveis da empresa, “o plástico está a matar o planeta”. Estima-se que existam cerca de 5 triliões de pedaços de plástico a boiar nos oceanos, provocando anualmente a morte de 1 milhão de aves e animais marinhos. Só na Europa, são produzidos anualmente 25.8 milhões de toneladas de resíduos plásticos. Está previsto que na próxima década, os oceanos poderão chegar a conter 1 quilograma de plástico por cada 3 quilogramas de peixe.

“Estes números são gritantes e espelham a urgência na mudança de comportamentos não só dos consumidores, mas essencialmente da indústria que teima em oferecer o seu produto em embalagens nocivas para o ambiente” frisa João Castro e acrescenta que “desde 1988 que os conservadores dos oceanos alertam para o apelidado de “Great Pacific Garbage Patch”, uma ilha flutuante do tamanho do Texas compreendida por desperdícios plásticos”.

#goodbyeplasticbottles

A Sodastream Alemanha organizou em 2017 uma campanha apelidada de #goodbyeplasticbottles, que reuniu mais de 120 mil assinaturas em change.org. A petição, dirigida à ministra federal do meio ambiente, Barbara Hendricks, à chanceler alemã Angela Merkel, bem como ao actual e futuro governo da República Federal da Alemanha com o objectivo principal de eliminar totalmente o consumo em garrafas PET descartáveis até 2025.

Para tal, foram propostas algumas medidas como a obrigação de todos os fabricantes e comerciantes pagarem os danos ambientais causados por resíduos de plástico e seus danos consequentes ou para pagar sobretaxas de solidariedade, tributação de garrafas de bebidas e sacos plásticos, proibição publicitária de bebidas em garrafas de plástico, especialmente garrafas descartáveis.

O projecto está presente no site www.goodbyeplasticbottles.com e foi alvo de diversas acções de rua que promoveram a consciencialização do nefasto efeito do plástico no planeta.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Porto de Sines ocupa a 88ª posição no Top-100 de Terminais de Contentores

O Porto de Sines regista uma subida de três lugares no Índice da Alphaliner referente …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *