Início / Agricultura / Leite Montanha inaugura novas instalações para criar novas linhas de queijo

Leite Montanha inaugura novas instalações para criar novas linhas de queijo

A fábrica da cooperativa Leite Montanha, a maior de lacticínios da ilha do Pico, nos Açores, foi alvo de remodelação. Um investimento de 1,6 milhões de euros que vai permitir mudar o tipo de produtos e criar linhas de queijo diferentes. A inauguração aconteceu hoje, 5 de Outubro, com a visita do presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro.

O objectivo do investimento é fazer uma “aposta clara nos produtos típicos” da ilha, afirmou o presidente da cooperativa Leite Montanha, Jorge Pereira, em Maio de 2016, quando foi assinado o termo de aceitação do projecto de incentivos para reestruturação da fábrica, com o Executivo açoriano.

A Leite Montanha recebe actualmente leite de 42 produtores que, em 2015, entregaram cerca de seis milhões de litros. A cooperativa assumiu em 2015 a exploração da unidade fabril, então da LactoPico, cuja assembleia de credores, em Outubro de 2014, aprovou por unanimidade um plano de recuperação financeira, na sequência de dívidas na ordem dos 4,5 milhões de euros.

Segundo Vasco Cordeiro, aquele investimento cria as condições para garantir a sustentabilidade do sector leiteiro na ilha do Pico. “É de elementar bom senso reconhecer que não podemos ficar por aqui. Realizámos este investimento, estamos a dar condições para o futuro do sector leiteiro da ilha do Pico, mas interessa agora passarmos às fases seguintes, de valorização do produto e da existência de matéria-prima para que esta fábrica possa funcionar”, afirmou o governante.

A caminho da sustentabilidade

Na sua intervenção, o presidente do Governo Regional salientou que interessa que todos estejam particularmente atentos à forma como, através do investimento nesta fábrica, “podemos colocar o sector leiteiro da ilha do Pico definitivamente no caminho da sustentabilidade, do crescimento e da valorização”.

A importância desta inauguração reside também, segundo Vasco Cordeiro, no processo que a antecedeu, recordando o compromisso, reafirmado várias vezes e em várias circunstâncias, e que se resumiu na expressão “a Lacto Pico não caiu, a Lacto Pico não cairá”.

O presidente do Governo Regional recordou que a solução assumida para o sector leiteiro do Pico passou pelo envolvimento tripartido da indústria, na valorização dos produtores e na atenção ao seu rendimento, dos próprios produtores, na garantia de matéria-prima para a cooperativa funcionar, e do Governo, que esteve ao lado do sector na realização dos investimentos necessários para dar viabilidade.

“Foi isso que fizemos e é isso que continuaremos a fazer, com a consciência clara de que somos apenas uma das partes da solução e do futuro do sector leiteiro da ilha do Pico”, frisou Vasco Cordeiro, ao salientar que este investimento de 1,6 milhões de euros é mais um esforço, a somar a tantos outros esforços dos produtores de leite, dos trabalhadores e da cooperativa, para viabilizar o sector.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

PDR 2020 tem 17 milhões de euros para defesa da floresta contra incêndios

O período de candidaturas à medida 8.1.3 – Protecção da Floresta Contra Agentes Bióticos e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *