Início / Mar / Ambiente / IPMA realiza campanha de produção diária de ovos para carapau

IPMA realiza campanha de produção diária de ovos para carapau

As campanhas do Programa Nacional de Amostragem Biológica (PNAB) – Campanha de Ovos de Carapau (PT-DEPM16-HOM) e Campanha Acústica (PELAGO16), vão ser realizadas este ano em simultâneo, a bordo do NI “Noruega”, informa o Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA).

A campanha conjunta teve início a 1 de Março e terá a duração de 45 a 50 dias, divididos em 3 partes de cerca de 16 dias cada, cobrindo a área da plataforma continental desde o Cabo Finisterra ao Cabo Trafalgar. Estas campanhas vão envolver uma equipa de 24 técnicos e investigadores.

A campanha PT-DEPM16-HOM insere-se no programa coordenado no âmbito ICES-WGMEGS (Working Group on Mackerel and Horse-mackerel Egg Surveys) e decorre a cada três anos abrangendo a região Atlântica desde Cádis até às ilhas Faroé, e envolvendo vários institutos/países (IPMA-Portugal, IEO-Espanha, AZTI-Espanha, IMARES-Países Baixos, vTI, MARLAB UK, MSML, FAMRI).

A metodologia DEPM (Daily Egg Production Method) envolve o rastreio de toda a zona de distribuição da espécie com recolhas de plâncton segundo grelha pré-determinada para estimação da área de desova e densidade de ovos na área. Conjuntamente são recolhidas amostras da fração adulta da população, através de pesca, para estimação de peso médio das fêmeas, proporção entre sexos, fecundidade parcial e fracção de desova diária.

Embora esta campanha seja dirigida à estimação de carapau, em 2016 as amostragens serão alargadas à sardinha. A campanha PELAGO16 insere-se no programa de rastreio acústico coordenado no âmbito ICES-WGACEGG (Working Group on Acoustics and Egg Surveys in areas VII, VIII and IX) e decorre anualmente abrangendo a região Atlântica desde Cádis até à costa ocidental de França, e envolvendo o IPMA, os institutos espanhóis IEO e AZTI e o IFREMER.

Monitorizar a abundância de sardinha e biqueirão

Esta campanha tem por objectivo principal monitorizar a abundância de sardinha e de biqueirão, por classes de comprimento e grupos de idade, através do método da ecointegração: rastreio acústico com sonda científica calibrada, ao longo de radiais perpendiculares à costa, sobre toda a zona da plataforma até aos 200 m de profundidade e amostragem por pesca para identificação e recolha de dados biológicos das espécies rastreadas.

Como objectivos secundários incluem-se a estimação da distribuição e abundância de outras espécies de peixes pelágicos (como cavala, carapau, carapau-negrão, boga, sarda) e ainda a monitorização quantitativa de aves e mamíferos marinhos ao longo do percurso de rastreio acústico. É ainda realizada a amostragem contínua de plâncton para recolha de ovos e larvas de peixe, ao longo do trajecto de rastreio, através do sistema CUFES (Continuous Underway Fish Egg Sampler). Este sistema permite também obter registos de temperatura, salinidade e fluorescência superficiais.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Beer Party leva mais de 100 cervejas para prova em Lisboa

O melhor do mundo das cervejas estará reunido no Lisbon Marriott Hotel, este sábado, a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.