Início / Agricultura / IPC2Society revela alternativa de alimentação saudável: massa com algas para combater diabetes, obesidade e hipertensão

IPC2Society revela alternativa de alimentação saudável: massa com algas para combater diabetes, obesidade e hipertensão

Combater a diabetes, obesidade e hipertensão com algas? É o que propõe um grupo de investigadores portugueses.

A IPC2Society dá a conhecer 50 dos mais inovadores projectos de investigação desenvolvidos no Instituto de Investigação Aplicada do Politécnico de Coimbra (i2a – IPC).

Este projecto pretende estudar a inclusão de macroalgas marinhas portuguesas, com o objectivo de formular massas que possam potencialmente contribuir para a diminuição de diabetes, obesidade e hipertensão na população.

Estudar a inclusão de macroalgas marinhas Portuguesas em massas é o objectivo de um projecto lançado em 2017 em parceria com Instituto Politécnico de Coimbra, a Universidade de Aveiro e a empresa AlgaPlus.

Produto alimentar alternativo

Com o objectivo de formular massas que possam potencialmente contribuir para a diminuição de diabetes, obesidade e hipertensão na população, o estudo da incorporação de macroalgas em massas alimentícias para melhorar os benefícios nutricionais e de saúde destas, pode levar à produção industrial de um produto alimentar alternativo.

Segundo Rui Costa, coordenador da investigação, “a utilização de extractos permite aumentar a concentração de nutrientes/compostos bioactivos adicionados ao alimento sem detrimento do seu odor ou sabor, existindo uma forte evidência de que a sua incorporação se reflecte frequentemente num incremento das características nutricionais e bioactivas dos mesmos”.

Farinha de macroalgas

Ainda em fase de investigação um dos principais objectivos do projecto HEPA – Healthier eating of pasta with algae passa por testar e avaliar os benefícios para a saúde encontram-se a ser avaliados através de análise do teor de nutrientes e da bio-disponibilidade na massa elaborada com farinha de macroalgas e/ou extractos de macroalgas.

Esta é uma investigação que conta com o envolvimento da empresa AlgaPlus que integra o consórcio de um projecto PT 2020, do Sistema de Incentivos à Investigação Científica e Desenvolvimento Tecnológico (SAICT), promovido pelo IPC, tendo em vista o aproveitamento inovador de algas para a alimentação humana.

IPC2Society dá a conhecer os mais inovadores projectos de investigação

Com o apoio do INOV C 2020 a primeira edição do IPC2Society realiza-se no próximo dia 11 de Abril, nas instalações do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC), esta é uma iniciativa que dará a conhecer 50 dos mais inovadores projectos desenvolvidos no Instituto de Investigação Aplicada (i2a) do IPC.

Dirigida a todos os sectores da economia, o IPC2Society reúne projectos desenvolvidos nas mais variadas áreas do conhecimento que vão desde as Ciências Agrárias, o Ambiente, as Ciências da Educação, Artes e Design, a Informática, Tecnologias e Engenharias e a Saúde, entre outras.

O IPC2Society ocorre no âmbito de dois projectos em curso no IPC: o Lab2Factory e o INOV C 2020, ambos financiados pelo FEDER, através do Programa Operacional Centro 2020.

Parcerias com PME

“O IPC2Society foi criado com o objectivo de contribuir para uma maior visibilidade dos projectos dos nossos investigadores, e fomentar a criação de parcerias sólidas com os diferentes agentes regionais, nomeadamente PME, tendo em vista a obtenção de soluções inovadoras e o desenvolvimento sustentável”, explica Carlos Dias Pereira, director do i2a.

E acrescenta aquele investigador que, “com uma clara aposta na prestação de serviços à comunidade e no desenvolvimento de projectos em co-promoção empresarial, o IPC, através do i2a, dos diversos laboratórios associados e do Centro de Estudos de Recursos Naturais, Ambiente e Sociedade (CERNAS), tem procurado promover, estimular e apoiar os vários projectos de investigação, ao mesmo tempo que incentiva a transferência de conhecimento e tecnologia para o tecido empresarial e comunidade”.

Por sua vez, explica Cândida Malça, vice-presidente do IPC, que “sendo uma estrutura transversal a todo o IPC, o i2a assegura o enquadramento institucional às actividades de IDT&I de cerca de 620 investigadores, 250 dos quais doutorados, que desenvolvem trabalho nas mais variadas áreas do saber técnico-científico nas diferentes unidades orgânicas de ensino que integram o IPC”.

INOV C 2020 apoia projectos inovadores do Instituto Politécnico de Coimbra

Do consórcio INOV C 2020, liderado pela Universidade de Coimbra, fazem parte dez parceiros nucleares: o Instituto Politécnico de Coimbra, o Instituto Politécnico de Leiria, o Instituto Politécnico de Tomar, o Instituto Pedro Nunes, o ITeCons, o SerQ, a ABAP, a Obitec e o TagusValley.

O INOV C 2020 é um projecto co-financiado pelo Centro 2020, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), com um prazo de execução compreendido entre 18 de Abril de 2017 e 17 de Outubro de 2019.

Os parceiros executarão um investimento total de 1.627.614€, sendo o montante de 1.383.472€ financiado pelo FEDER.

O objectivo do projecto INOV C 2020 é consolidar a Região Centro enquanto referência nacional na criação de produtos e serviços resultantes de actividades de Investigação & Desenvolvimento.

A consolidação do Ecossistema de Inovação, através da incorporação de uma oferta ampla de recursos, infraestruturas e respostas a desafios específicos, faz também parte da sua missão. O INOV C 2020 segue-se ao Programa Estratégico INOV C, executado entre 2010 e 2015.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Conhece as oportunidades de financiamento para as bioindústrias?

O Gabinete de Promoção do Programa Quadro da Agência Nacional de Inovação (ANI) em parceria …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.