Início / Agricultura / INIAV: luta biológica ao cancro do castanheiro “só deve ser aplicada em condições determinadas e com autorização”

INIAV: luta biológica ao cancro do castanheiro “só deve ser aplicada em condições determinadas e com autorização”

O cancro do castanheiro é um dos principais problemas que afecta soutos e castinçais em Portugal. “A luta biológica pode ser uma “ferramenta” com potencial para o controlo da doença, no entanto, só deve ser aplicada em condições determinadas e com autorização”.

Quem o diz é Helena Bragança, do INIAV – Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, em artigo técnico publicado na Revista Vida Rural.

Sintomas do cancro do castanheiro

“Numa altura em que tanto se fala de luta biológica e em que parece não haver outra alternativa no curto e médio prazo, é natural que todos os que querem e podem cuidar bem dos seus soutos e castinçais pensem nesta possibilidade. Porém, é importante perceber que não se pode aplicar bioproduto como se se tratasse de um fungicida, é necessário passar conhecimento para que os produtores possam decidir em segurança e com a consciência da maior ou menor probabilidade de sucesso deste tratamento, assim como da sua exequibilidade”, explica Helena Bragança.

A doença

Aquela técnica do INIAV acrescenta que o cancro do castanheiro é uma doença que afecta o castanheiro (tronco e ramos) e cujo agente causal é o fungo Cryphonectria parasitica. O fungo penetra no hospedeiro através da germinação dos esporos, desenvolve-se na planta e, quando os vasos condutores são atingidos, a planta/ramo seca.

Este fungo ainda é considerado um organismo de quarentena pela legislação europeia, embora esteja presente na maior parte dos países da Europa.

Helena Bragança realça que se descobriu a doença estava associada a um fenómeno de hipovirulência natural, em que o fungo se torna menos agressivo para a planta, os cancros cicatrizam e esta recupera.

“Foi com base no estudo deste fenómeno natural que, mais tarde, foi possível a implementação de luta biológica para o controlo do cancro, através da aplicação nos cancros de uma pasta com fungo hipovirulento (o bioproduto)”.

Cuidados na luta biológica

“Se a hipovirulência é um fenómeno relativamente fácil de explicar, perceber as condicionantes da luta biológica, exige o domínio de conceitos científicos difíceis de traduzir em linguagem corrente. Mas em ciência, mesmo na mais fundamental, tudo é passível de ser transmitido em linguagem acessível. Neste caso, em que se trata de ciência aplicada, é ainda mais importante que sejam passados os conceitos e é nesse sentido que surge este artigo”, acrescenta Helena Bragança.

Pode ler o artigo completo aqui.

Ver também:

PDR 2020. Há 20 M€ contra pragas do pinheiro, sobreiro, azinheira, castanheiro e eucalipto

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Ana Paula Vitorino defende Porto de Sines como peça-chave na relação Portugal-China

A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, esteve esta quarta-feira, 22 de Maio, na Conferência …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.