Início / Agricultura / Há novos focos de peste suína africana em suínos domésticos na Bulgária

Há novos focos de peste suína africana em suínos domésticos na Bulgária

A Comissão Europeia acaba de demarcar novas zonas de risco elevado de peste suína africana depois de ocorrerem outros casos da doença em suínos domésticos na Bulgária.

Segundo a Decisão de Execução (UE) 2019/1212 da Comissão, de 16 de Julho de 2019, em Julho de 2019, foi observado um foco de peste suína africana em suínos domésticos na região de Burgas, na Bulgária, numa zona não enumerada no anexo da Decisão de Execução 2014/709/UE.

Este foco de peste suína africana em suínos domésticos constitui um aumento do nível de risco que deve ser reflectido no referido anexo. Por conseguinte, essa zona da Bulgária afectada pela peste suína africana deve constar da parte III do anexo da Decisão de Execução 2014/709/UE.

Pode consultar a Decisão aqui.

A peste

A Peste Suína Africana (PSA) é causada por um vírus que provoca uma doença muito grave nos suídeos que se expressa por um quadro clínico com exuberantes sinais hemorrágicos sendo quase sempre mortal.

As espécies sensíveis são os suínos domésticos e os selvagens (javalis) de qualquer idade.

O vírus da PSA pode difundir-se facilmente por contacto directo ou indirectamente através de fomites ou outros veículos transmissores. Devido à sua gravidade, com rápida evolução da doença e à grande difusibilidade do vírus, a doença tem um elevado impacto social e económico, devido ás perdas provocadas.

O vírus da PSA não representa qualquer perigo para a saúde humana. Também não existe vacina nem tratamento para esta doença.

Veja aqui as medidas preventivas contra a doença.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Produtividade da batata de regadio aumenta 10%. Tomate para a indústria com boas perspectivas

A apanha da batata de regadio está a decorrer e confirmam-se os aumentos de produtividade …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.