Início / Agricultura / Grupo SIMAB quer conhecer melhor clientes e clientes dos seus clientes. Estudo em marcha

Grupo SIMAB quer conhecer melhor clientes e clientes dos seus clientes. Estudo em marcha

A SIMAB – Sociedade Instaladora dos Mercados Abastecedores quer conhecer mais profundamente a realidade dos mercados abastecedores em Portugal, razão porque está a promover um estudo de opinião a partir das quatro plataformas sob sua gestão: Lisboa, Braga, Évora e Faro.

O estudo – desenvolvido pela Pitagórica – Investigação e Estudos de Mercado – iniciou esta terça-feira, dia 3 de Abril o trabalho de campo no Mercado Abastecedor da Região de Lisboa (MARL), devendo estar concluído até ao Verão.

Mercados abastecedores são cada vez mais complexos

“Os mercados são espaços cada vez mais complexos, abertos a novos negócios e visitantes, onde o dinamismo é fundamental para defrontar os desafios que sistematicamente nos surgem”, contextualiza o CEO do Grupo SIMAB, lembrando que “existe uma enorme falta de informação sobre comerciantes e clientes”.

De acordo com Rui Paulo Figueiredo, para fazer qualquer abordagem estratégica “é necessário caracterizar aprofundadamente ambos os públicos”, trabalho sem o qual não será possível “definir com sucesso os mercados do futuro”.

Objectivos

“Compreender as percepções e expectativas dos operadores e clientes de cada um dos mercados” e “aprofundar o conhecimento qualitativo da experiência de contacto com o comércio aqui desenvolvido, identificando os pontos que são valorizados, bem como os travões dos mesmos”, são, assim, os primeiros objectivos deste estudo.

A partir do inquérito que está a ser colocado à consideração do público-alvo, a Pitagórica pretende “analisar os pontos fortes e fracos decorrentes das experiências de cada mercado”, “elucidar, gráfica e analiticamente, os atributos que mais contribuem para a satisfação» e «propor recomendações” à SIMAB.

Critérios

Nos objectivos específicos relativos aos consumidores inscrevem-se, por exemplo, a “caracterização dos comportamentos de compra”, a “frequência de compra”, a “repartição de gastos por área alimentar”, a “selecção do operador”, a “avaliação dos tipos de comércio”, ou os “factores potenciadores e inibidores de compra nos mercados”.

Já do ponto de vista dos operadores, os objectivos específicos apontam para a sua caracterização (da natureza jurídica ao volume de negócios ou à presença web), para a avaliação do negócio (da oferta à competitividade), e para o seu posicionamento (perspectiva face ao investimento ou face a horários e dias de abertura).

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Vitas lança em Portugal os Innovation Awards Roullier 2020. Candidaturas abertas

A Vitas Portugal informa que os Innovation Awards Roullier 2020 têm candidaturas abertas até às …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.