Início / Agricultura / Governo autoriza expropriações para avançar com bloco de rega de Viana do Alentejo

Governo autoriza expropriações para avançar com bloco de rega de Viana do Alentejo

A área sujeita a expropriações para instalação do Circuito Hidráulico de Viana do Alentejo e do respectivo Bloco de Rega está já delimitada, informa o Ministério da Agricultura, liderado por Luís Capoulas Santos.

O Despacho que aprova as plantas de localização das parcelas que constituem essa área está já assinado e autoriza a EDIA – Empresa de Desenvolvimento de Infraestruturas do Alqueva a avançar com o processo.

O projecto do Circuito Hidráulico de Viana do Alentejo e respectivo Bloco de Rega insere-se na segunda fase de desenvolvimento do EFMA e visa promover a beneficiação com o regadio de uma área de cerca de 4.378 hectares, circundante à área já construída. As parcelas a expropriar estão abrangidas pela declaração de utilidade pública e o processo decorrerá com carácter de urgência, diz o Gabinete de Capoulas Santos.

Ampliação de Alqueva em mais 50 mil hectares

O projecto foi aprovado em Março e integra a componente de ampliação de Alqueva em mais 50 mil hectares, no âmbito do Programa Nacional de Regadios. Trata-se de um programa que “este Governo criou com o objectivo de dotar o País de cerca de 100 mil novos hectares de regadio até 2023, através de um investimento público que ascende a 560 milhões de euros“, salienta o Ministério da Agricultura.

O Programa Nacional de Regadios criará 10.500 novos postos de trabalho permanentes e prossegue um “grande objectivo do Governo criando mais e melhores condições para a fixação das populações e para o crescimento da pequena agricultura familiar através de investimentos promotores de desenvolvimento rural e de valorização do interior”, afirma ainda o Gabinete de Capoulas Santos.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Zona demarcada do insecto vector da psila dos citrinos tem mapa actualizado

A DGAV – Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária voltou a actualizar o mapa bem como …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.