Início / Agricultura / Estudo mostra que dois copos de vinho por dia combatem doença de Alzheimer

Estudo mostra que dois copos de vinho por dia combatem doença de Alzheimer

Os estudos sobre os benefícios do consumo de vinho não param. O mais recente é da Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, e demonstra que que beber dois copos e meio de vinho por dia pode combater a doença de Alzheimer e ajudar a “limpar” o cérebro.

Segundo o estudo liderado pela doutrora Maiken Nedergaard, publicado no site Nature e na revista Scientific Reports, beber dois copos e meio de vinho por dia ajuda a eliminar os “desperdícios” do cérebro.

As investigações foram realizadas no sistema glifático e permitiram descobrir novos benefícios do vinho. Um sistema que os autores do estudo conhecem bastante bem, já que foram os primeiros a descobrir o seu funcionamento.

Impacto do consumo de álcool

O estudo teve como objectivo avaliar o impacto do consumo de álcool, tanto agudo como crónico, no sistema glinfático. Os autores analisaram os cérebros de um modelo animal ao qual administraram quantidades moderadas e elevadas de álcool durante um largo período de tempo.

Os resultados desses benefícios baseiam-se, como é lógico, no consumo moderado, pois o consumo excessivo ou abusivo pode resultar em danos para o cérebro.

Os investigadores da Universidade de Rochester basearam o seu trabalho na exposição de ratos ao álcool e comprovaram que aqueles a que beberam doses equivalentes a dois copos e meio — o estudo não especifica se era tinto ou branco — apresentaram uma melhoria. Mas, os que tiveram uma dose excessiva sofreram uma deterioração das suas habilidades cognitivas e motoras.

Em excesso faz mal

“A ingestão prolongada de quantidades excessivas de etanol tem efeitos adversos no sistema nervoso central”, explica Nedergaard, adiantando que que as doses pequenas “são potencialmente benéficas para o cérebro”, já que melhoram a sua capacidade de eliminar resíduos.

Por outro lado, as exposições intermediárias ao álcool reduzem a capacidade de expulsar esses resíduos do cérebro, embora esta função seja restaurada após 24 horas.

“Neste estudo, demonstramos pela primeira vez que as doses baixas de álcool são potencialmente benéficas para o cérebro, ou seja, melhoram a capacidade do cérebro para eliminar os desperdícios”, conclui a especialista.

Para este estudo os investigadores deram, a ratos, pequenas, intermédias e altas doses de álcool, equivalentes a 0,5, 1,5 e 4 gramas por Kg, respectivamente, durante 30 dias.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Jorge Tomás Henriques reeleito para novo mandato à frente da FIPA

Jorge Tomás Henriques foi reeleito presidente da FIPA – Federação das Indústrias Portuguesas Agro-alimentares nas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *