Início / Agricultura / Estratégia Nacional para a Promoção da Produção de Cereais está aprovada

Estratégia Nacional para a Promoção da Produção de Cereais está aprovada

O Governo aprovou hoje, 11 de Julho, em Conselho de Ministros, a Estratégia Nacional para a Promoção da Produção de Cereais, com objectivo de reduzir a dependência externa e consolidar e aumentar as áreas de produção.

Tendo em conta o potencial da produção cerealífera em termos territoriais e as oportunidades acrescidas decorrentes do Programa Nacional de Regadio, o Governo visa atingir, num horizonte de 5 anos, um grau de auto-aprovisionamento em cereais de cerca de 40% (correspondendo 80% ao arroz, 50% ao milho e 20% aos cereais praganosos, trigo, cevada, aveia, etc.

A Estratégia Nacional foi elaborada pelo Grupo de Trabalho dos Cereais, coordenado pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, integrando a Associação Nacional de Produtores de Cereais, a Associação Nacional de Produtores de Milho e Sorgo e a Associação de Orizicultores de Portugal.

Área ocupada com cereais a diminuir há décadas

De acordo com o diagnóstico do Grupo de Trabalho, a superfície ocupada com cereais correspondia, no final dos anos 80, a cerca de 900 mil hectares, aproximadamente 10% do território nacional, tendo diminuído para 257 mil hectares em 2016.

Este decréscimo decorreu, essencialmente, da discrepância de preços praticados ao longo deste período em Portugal e na União Europeia. Os níveis de auto aprovisionamento apresentam actualmente um valor na ordem dos 23%, situação que o Governo pretende inverter, refere uma nota de imprensa do Gabinete de Capoulas Santos.

A Estratégia será executada através de um Plano de Acção, elaborado e implementado pelos serviços e organismos de cada área governativa, em função da natureza das medidas em causa, acrescenta a mesma nota.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

ADVID: Boletim do Ano Vitícola 2018 já está online

A ADVID – Associação Desenvolvimento da Viticultura Duriense acaba de disponibilizar o Boletim do Ano Vitícola …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.