Início / Agricultura / Estação de Avisos do Douro alerta para novo foco de flavescência dourada da videira

Estação de Avisos do Douro alerta para novo foco de flavescência dourada da videira

A Estação de Avisos do Douro alerta para a confirmação de dois focos de flavescência dourada da videira, na freguesia de Vilar de Maçada, concelho de Alijó, e os cuidados a ter em conta.

Segundo a Circular 12-2018, face à perigosidade da doença e à sua capacidade de dispersão a Estação de Avisos do Douro diz ser urgente que os viticultores cumpram as seguintes medidas:

  • 1) não colher varas (”semente”) por sua iniciativa para realizarem enxertias;
  • 2) não produzir bacelos para utilização própria. O porta-enxerto, apesar de não manifestar sintomas, pode ser portador da doença e dispersar a flavescência dourada;
  • 3) Nas retanchas ou novas plantações apenas utilizar plantas de viveiro (bacelos, enxertos prontos) e varas certificadas, isto é, adquirir plantas devidamente acompanhadas por etiquetas de certificação;
    As etiquetas comprovam que o material foi controlado e certificado pelos serviços oficiais responsáveis. A etiqueta de certificação garante, para além do cumprimento de outros requisitos, a isenção da doença da Flavescência dourada.
  • 4) Garantir a realização dos tratamentos insecticidas obrigatórios dirigidos ao insecto vector da doença — cigarrinha da flavescência dourada (Scaphoideus titanus) —, de acordo com as datas e produtos preconizados pelas circulares de Avisos do Douro, mantendo os registos em caderno de campo.
    Alerta a Estação que a freguesia de Vilar de Maçada está sujeita (por Despachos publicados anualmente em diário da república) a tratamentos insecticidas obrigatórios desde 2016. Se estes não forem realizados sistematicamente por todos os proprietários de plantas de videira, não é possível o controlo da doença e, consequentemente, estão a contribuir para a dispersão da flavescência dourada. No concelho de Alijó estão igualmente obrigadas a tratamentos as freguesias de Sanfins do Douro, União das Freguesias de Carlão e Amieiro e Vila Chã. E irá ser incluída a partir de 2019 a freguesia de Alijó.
  • 5) Se tiverem suspeitas de possuírem plantas contaminadas com a doença ou com sintomas semelhantes aos das fotografias apresentadas (maus atempamentos das varas, enrolamento das folhas, cachos secos, ramos pendentes, …), devem de imediato contactar os serviços regionais de agricultura da DRAP Norte.

Sintomas de flavescência dourada

Para ver as fotos de alguns sintomas de flavescência dourada, consulte a Circular 12-2018 da Estação de Avisos do Douro aqui.

A Flavescência Dourada (FD) é uma doença de quarentena (lista A2 EPPO, Directiva 2009 / 297CE), causada por um fitoplasma (Candidatus Phytoplasma vitis), pertencente ao grupo dos “amarelos” da videira (grapevine yellows – GY), sendo actualmente uma das doenças mais graves que afecta as vinhas europeias.

Foi identificada pela primeira vez na década de cinquenta, em França, sendo que outras doenças semelhantes foram relatadas noutros países europeus (ex. Bois noir).

O principal vector da FD, o cicadelídeo Scaphoideus titanus, é um insecto monófago que se alimenta exclusivamente da videira.

A FD tem um impacto económico significativo na videira, incluindo perdas de rendimento e declínio, numa fase posterior. Sem a aplicação de medidas de controlo, a doença espalha-se rapidamente, afectando a totalidade das vinhas, decorridos alguns anos.

Apesar da obrigatoriedade da aplicação de medidas de controlo na Europa, a doença continua a disseminar-se, requerendo vigilância constante para evitar a sua dispersão para novas áreas, assim como reduzir o impacto económico, nas áreas já infectadas.

Informação relevante

Relembre-se que a ADVID – Associação Desenvolvimento da Viticultura Duriense, no âmbito do projecto Winetwork, colaborou na elaboração de informação relevante sobre a Flavescência Dourada, que poderá consultar através dos seguintes links:

– Folhetos

Como prevenir a infecção?

FD – Acção, ferramentas e tempo de luta

– Fichas técnicas

Flavescência dourada – estratégias para melhor controlar a doença

Tratamento com água quente (termoterapia)

– Artigos técnicos

Flavescência Dourada e a sua gestão na vinha Contenção da doença – como evitar a sua dispersão

Flavescência dourada a importância da monitorização territorial

As práticas mais populares na Europa na luta contra a Flavescência Dourada

Contributos para o conhecimento do comportamento do vector da Flavescência Dourada, Scaphoideus titanus BALL. na Região de Trás-os-Montes e Alto Douro

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Exames para carta de caçador regional e nacional decorrem nos Açores em Maio e Setembro

Os exames para a obtenção da carta de caçador regional e nacional decorrem duas vezes …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.