Início / Agricultura / Cotações – Milho e Arroz – Informação Semanal – 1 a 7 Janeiro 2018

Cotações – Milho e Arroz – Informação Semanal – 1 a 7 Janeiro 2018

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

Milho

Em Portugal continental, a área total semeada com milho em 2017 diminuiu cerca de 5%, em relação ao ano anterior, mas o volume de produção deverá aumentar na mesma percentagem, graças a um aumento de produtividade no milho de regadio, que beneficiou do tempo quente e seco.

Contudo, muito do milho colhido apresentava-se bastante desidratado e com elevada percentagem de grãos partidos.

Na semana em análise, a oferta diminuiu na área de mercado Beira Litoral, ficando mais dependente dos grandes produtores, com capacidade de armazenamento e maior poder de negociação. As cotações subiram nesta área de mercado, em relação à semana anterior.

As cotações mais frequentes do milho variaram entre 165€/ton e 170€/ton.

Arroz

Nesta campanha, devido à seca e às altas temperaturas registadas ao longo do ciclo produtivo, o grão amadureceu mais cedo e apresentava-se mais seco do que o normal e com maior percentagem de trincas.

Com o decorrer da campanha, as cotações do arroz longo A (carolino) registam uma tendência de crescimento, à medida que os pequenos produtores saem do mercado e entram os grandes produtores, com capacidade de armazenamento e de negociação de preços.

As cotações variaram entre o mínimo de 260€/ton, para o arroz longo B, e o máximo de 315€/ton, para o arroz longo A.

Comércio internacional

Nos primeiros 10 meses de 2017, o volume de cereais importados aumentou 11%, relativamente ao período homólogo de 2016. A importação de milho aumentou 26,5% e a de trigo mole 6%.

Nos primeiros 10 meses de 2017, o déficit comercial português em cereais aumentou 11%, relativamente ao período homólogo de 2016, atingindo o valor de 627,7 milhões de euros.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Estatuto de Jovem Empresário Rural está aprovado

O Governo aprovou hoje, 13 de Dezembro, em Consleho de Ministros, o o decreto-lei que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.