Início / Agricultura / Confagri defende a manutenção do Ministério da Agricultura e da Comissão de Agricultura

Confagri defende a manutenção do Ministério da Agricultura e da Comissão de Agricultura

A Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas, superado o período eleitoral, em defesa dos interesses do sector agrícola, pretende “deixar claro que considera essencial a manutenção do Ministério da Agricultura, das Florestas e do Desenvolvimento Rural, bem como da Comissão da Agricultura na Assembleia da República”.

Em nota de imprensa, a Confagri diz que o debate sobre a agricultura portuguesa, a floresta e o desenvolvimento soco-económico das áreas rurais, deverá “assumir grande relevo na próxima legislatura”.

Alterações climáticas

Para a Confederação, a mitigação dos efeitos das alterações climáticas, o futuro da nossa alimentação, a soberania alimentar, o ordenamento dos espaços florestais, a distribuição dos incentivos à actividade agroalimentar pós 2020 são, entre outras, questões que “conduzirão a acesos debates na sociedade portuguesa, que exigem opções escrutinadas, ponderadas e responsáveis por parte dos decisores políticos”.

A Confagri, enquanto Confederação nacional representativa dos agricultores portugueses organizados de forma cooperativa, “manifesta a sua total disponibilidade para dialogar com o futuro Governo, bem como com as forças partidárias que integram o novo Parlamento, na procura das soluções que garantam uma actividade agrícola e agroalimentar sustentável no nosso País”.

Eleições

O Partido Socialista (PS) venceu as eleições legislativas de 6 de Outubro com 36,65% e 106 deputados. O PSD foi o segundo partido mais votado, com 27,90% dos votos e 77 deputados.

Para ter maioria absoluta, os socialistas precisariam de, pelo menos, 116 deputados.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Investigação da Universidade de Aveiro. Musgos têm papel essencial na gestão de solos queimados

Os musgos têm um papel fundamental na conservação do solo afectado por um incêndio florestal …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.