Início / Agricultura / Cientistas propõem alimentação para bovinos com algas marinhas para reduzir emissões de metano

Cientistas propõem alimentação para bovinos com algas marinhas para reduzir emissões de metano

As emissões de gases pelos bovinos têm estado no centro do debate, com partidos políticos a proporem a redução do efectivo, como é o caso do PAN — Pessoas-Animais-Natureza, tal como o Roteiro para a Neutralidade Carbónica. É para esse problema que um conjunto de cientistas, a nível mundial, diz ter a resposta.

O papel das algas marinhas na redução das emissões de metano (gás de efeito estufa muito mais perigoso do que o CO2), através da sua aplicação na alimentação de animais, contribuindo para a resolução de um dos principais problemas relacionados com os produtores de leite e de carne bovina, é um dos temas abordado no livro “Seaweeds as Plant Fertilizer, Agricultural Biostimulants and Animal Fodder” (Algas como fertilizantes, bio-estimulantes agrícolas e forragens para animais, em tradução livre), que vai para as bancas amanhã, dia 25 de Outubro.

Universidade de Coimbra

Um dos coordenadores da edição da obra (e também co-autor de um capítulo) é Leonel Pereira, docente da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) e investigador do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE).

O livro, que é publicado pela CRC Press do Taylor and Francis Group (USA), surge no âmbito do projecto Interreg – Naspa (Natural fungicides against air & soil borne pathogens in the Atlantic Area), focado em criar alternativas naturais aos fertilizantes e agro-químicos sintéticos usados na agricultura actualmente.

Algas como estimulantes de uso agrícola

Leonel Pereira

Ao longo de 12 capítulos, da autoria de cientistas de várias nacionalidades, o livro explora “a utilização de algas e extractos de algas como estimulantes de uso agrícola, reguladores de crescimento de plantas agrícolas extraídos de algas e protectores das plantas contra pragas (fungos, insectos, etc.), bem como o uso de algas na alimentação de animais, nomeadamente na alimentação de gado bovino para a redução das emissões de metano; o uso de algas na produção de rações para a aquacultura de peixes, entre outras aplicações”, relata o especialista em algas marinhas da FCTUC.

A obra, apesar de conter fundamentos científicos, “está escrita e ilustrada de modo a que qualquer público a possa ler, inclusivamente os jovens agricultores de todo o mundo”, salienta Leonel Pereira.

Dependendo da espécie, do habitat e de condições como temperatura da água, intensidade da luz e concentração de nutrientes na água, as algas possuem óptimas características para fins muito diversos.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Campeonato Nacional de Ornitologia em 2020 pode ser nos Açores. Governo Regional apoia

O Director Regional da Agricultura dos Açores manifestou a total disponibilidade do Governo para ser …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.