Início / Agricultura / Certificação Florestal do Alto Tâmega debatida em Boticas

Certificação Florestal do Alto Tâmega debatida em Boticas

O edifício dos Paços do Concelho de Boticas recebeu esta terça-feira, dia 14 de Maio, uma reunião onde foi analisado o desenvolvimento do projecto de Certificação Florestal previsto para a região do Alto Tâmega.

O encontro contou com a presença de representantes do IKEA, Sonae Arauco, Forest Stewardship Council (FSC) Portugal, World Wildlife Fund (WWF) e Forestis — Associação Florestal de Portugal, e de responsáveis das associações florestais da região, nomeadamente a Cooperativa Agrícola de Boticas (Capolib), a Aguiarfloresta e a AF Ribeira de Pena, bem como do presidente da Câmara Municipal, Fernando Queiroga.

Processo acompanhado pelos municípios

O processo de certificação está a ser acompanhado pelos municípios, através da Comunidade Inter-municipal do Alto Tâmega e visa a implementação de um Sistema de Gestão Florestal (SGF), de acordo com as normas da Forest Stewardship Council (FSC) Portugal, por forma a assegurar um maior volume de produção de madeira certificada de pinheiro bravo na região do Alto Tâmega e no Concelho de Boticas.

Esta certificação florestal, explica fonte da autarquia de Boticas, tem como objectivos principais facilitar o fornecimento de madeira certificada FSC (pinheiro) à Sonae Arauco, fornecedora estratégica da unidade de Paços de Ferreira da IKEA Industry e, em segundo, contribuir para a evolução do SGF, no sentido de responder de forma sustentada às necessidades de abastecimento de matérias-primas certificadas FSC da IKEA Industry em Portugal, através da Sonae Arauco.

Melhorar a gestão dos baldios

“As entidades envolvidas estão a reunir esforços no sentido de melhorar a gestão dos baldios e de valorizar os produtos florestais existentes na região e no Concelho de Boticas”, acrescenta a mesma fonte.

A concretização desta certificação, salienta a autarquia de Boticas, torna-se “uma mais-valia para o Alto Tâmega porque além de contribuir para a gestão sustentável da floresta portuguesa, fortalecer uma cadeia de valor de produtos de madeira com base em produção regional” e estabelecer “um bom exemplo de gestão florestal no contexto do minifúndio português”.

Por outro lado, este processo vai alinhar o planeamento de longo-prazo dos produtores florestais com as necessidades de matéria-prima de uma parte da indústria de base florestal, criar dinâmicas de cooperação nas comunidades onde a parceria será implementada, promovendo o envolvimento das diversas entidades com interesse no desenvolvimento da gestão florestal, permite ainda valorizar os recursos florestais da região e obter melhores preços de mercado.

O presidente da Câmara de Boticas, Fernando Queiroga, sublinha que deposita “muita esperança neste projecto de certificação florestal, já que o mesmo representa oportunidades de rendimento para as entidades gestoras da floresta e para a nossa população”, lembrando que “o concelho de Boticas tem uma imensa área florestal que é um dos nossos grandes recursos, devendo ser potencializada e transformada em oportunidades económicas para a região, o que se traduzirá no aumento dos rendimentos das famílias e, consequentemente, no aumento da qualidade de vida nestas regiões”.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Pedro Nuno Santos: expansão do Porto de Sines é “crítico para o desenvolvimento” de Portugal

O ministro das Infra-estruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, afirmou que a expansão do …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.