Início / Agricultura / Capoulas Santos negoceia introdução do fendilhamento da cereja no seguro agrícola

Capoulas Santos negoceia introdução do fendilhamento da cereja no seguro agrícola

O ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, lamenta que o sistema de seguros agrícolas, reformulado há cerca de um ano pelo anterior Governo, não preveja “o fendilhamento”. “Infelizmente, constatei que não está previsto no sistema de seguros agrícolas o risco do fendilhamento da cereja. A portaria está neste momento a ser alterada e estou a negociar com as seguradoras para que seja introduzido esse risco”, diz o governante.

Na sua intervenção na sessão de encerramento do Colóquio para Agricultores, que decorreu em Lamego, Capoulas Santos lamentou a situação de adversidade que os produtores estão a viver, especialmente os produtores de cereja, que tiveram grandes quebras de produção.

“Espero que, a curto prazo, estes mecanismos sejam repostos. Desejo que os prejuízos sejam os menores possíveis e que, rapidamente, tenhamos os instrumentos que permitam ter mais garantias para situações que se venham a verificar no futuro”, concluiu.

Tentar repor fundo de calamidades

Capoulas Santos prometeu ainda tentar repor o fundo de calamidades, um mecanismo que prevê cobrir riscos que não estejam cobertos pelos seguros destinados aos produtores agrícolas.

“Infelizmente, constatei que com este Programa de Desenvolvimento Rural (PDR), negociado pelo anterior Governo há cerca de um ano, foi excluído do sistema de seguros um instrumento da maior importância, que era o fundo de calamidades. Estou neste momento a tentar repor esta situação, que implica a negociação com a União Europeia”, diz o governante, segundo o site da Confagri – Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas de Portugal, que cita a Lusa.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Cotações – Cereais – Informação Semanal – 14 a 20 Outubro 2019

Análise SIMA – Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Milho Grão – Conjuntura semanal Na …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.