Início / Agricultura / Área de milho para grão mantém tendência de redução

Área de milho para grão mantém tendência de redução

As sementeiras e plantações das culturas de Primavera/Verão têm sido condicionadas pela intensa precipitação que tem saturado os terrenos e impedido que se realizem as operações culturais em condições técnicas aceitáveis. No caso do milho, os atrasos são generalizados e, em muitos casos, as áreas instaladas mais cedo registaram taxas de emergência tão baixas que obrigaram a ressementeiras, diz o INE em destaque dedicado às previsões agrícolas.

“Apesar de ainda se irem realizar sementeiras tardias de milho para grão, de variedades de ciclo mais curto (e, naturalmente, menos produtivas), é expectável que a área semeada desta cultura seja inferior a 90 mil hectares, o mais baixo registo dos últimos trinta anos”, adianta o INE. Para este cenário concorreu decisivamente o preço desta commodity nos mercados internacionais, que se mantém há mais de dois anos a rondar os 150 €/t, e que tem contribuído para que os produtores agrícolas procurem alternativas culturais.

Quanto ao arroz, prevê-se uma ligeira redução da área semeada (-5% face a 2015), tendo-se registado igualmente muita dificuldade na instalação desta cultura.

Área de batata semelhante à da campanha anterior

Também as plantações de batata ressentiram-se da primavera atipicamente chuvosa, verificando-se a necessidade de efectuar segundas plantações em muitos terrenos encharcados. Ainda assim, a área de batata de regadio deverá ficar próxima da registada em 2015 (19 mil hectares). Na batata de sequeiro, que já iniciou a colheita, prevê-se uma quebra de produtividade na ordem dos 10% face à campanha anterior. De referir ainda que as condições climatéricas têm favorecido o aparecimento de míldio e oídio, em alguns casos de difícil controlo, bem como de muitas infestantes, factores que poderão influenciar as produtividades.

Boas perspectivas para a campanha cerealífera

No entanto, o INE diz que os cereais de Outono/Inverno apresentam um bom desenvolvimento vegetativo, tendo beneficiado da disponibilidade hídrica dos últimos dois meses. Os povoamentos são regulares e as espigas estão bem formadas, aguardando-se agora que a diminuição da humidade do solo possa acelerar a maturação do grão. As previsões apontam para um aumento generalizado dos rendimentos unitários face à campanha anterior (5% no centeio, 15% no trigo mole, 20% no trigo duro e na cevada e 30% no triticale e na aveia).

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Açores lança novo concurso público para modernização do Entreposto Frigorífico das Lajes das Flores

O Governo Regional dos Açores, através da Lotaçor, lançou hoje, 18 de Outubro, um concurso …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.