Início / Agricultura / Animais de companhia. Quais os cuidados básicos? Exercício? Veterinário?

Animais de companhia. Quais os cuidados básicos? Exercício? Veterinário?

A DGAV – Direcção Geral de Alimentação e Veterinária, com o objectivo de sensibilizar a população para a detenção responsável de animais de companhia, vai amanhã, 14 de Março, dar início a uma campanha de sensibilização para a detenção responsável de animais de companhia.

Além da divulgação nos meios de comunicação social, a Campanha de Sensibilização para a Detenção Responsável de Animais de Companhia prevê também a distribuição de folhetos à população e junto dos médicos veterinários.

Responsabilidade

A par da responsabilidade dos detentores, que devem assegurar os cuidados básicos com os animais (abrigo, alimentação, cuidados de higiene, assistência veterinária, espaço para exercício), bem como o cumprimento de todas as obrigações legais inerentes à espécie, nomeadamente registo e identificação electrónica e licenças, os cidadãos que encontrem animais abandonados devem ter um papel activo na sua recolha, alertando as entidades policiais ou a autarquia local para a situação, diz uma nota de imprensa do Ministério da Agricultura.

Alerta: abandono de animais

Nesta campanha, a DGAV alerta ainda para as consequências do abandono dos animais. e refere que, para além de estar em causa o seu bem-estar, por falta de alimentação e de cuidados de saúde, os animais podem sofrer e provocar acidentes.

“A estas situações acrescem ainda riscos para a saúde humana e animal face à possibilidade de transmissão de doenças a pessoas e a outros animais e também à possibilidade de os animais poderem desenvolver comportamentos agressivos”, realça a mesma nota.

Compromisso

Para a DGAV, a decisão de adoptar um animal de companhia implica um compromisso: cuidar dele ao longo de toda a sua vida.

Aquela Direcção salienta ainda que os animais abandonados são recolhidos e alojados por serviços municipais, nos Centros de Recolha Oficial das Autarquias, onde aguardam até 15 dias que o respectivo detentor os reclame.

Nos casos em que estes animais não sejam reclamados, podem ser adoptados, após esterilização, por pessoas individuais ou associações de protecção animal devidamente legalizadas e que tenham condições adequadas para o seu alojamento.

Agricultura e Mar Actual

loading...

Verifique também

Executivo tem nova “orientação estratégica” para o ordenamento florestal

O Governo realizou hoje, 14 de Julho, um Conselho de Ministros Extraordinário, em Pampilhosa da Serra, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.