Início / Agricultura / Altri aumenta de 5% da pasta produzida e exporta 90% da produção em 2018

Altri aumenta de 5% da pasta produzida e exporta 90% da produção em 2018

O ano de 2018 foi um ano histórico para a Altri. A produção atingiu um novo recorde, situando-se em 1.097 mil toneladas de pasta produzida, mais 5% que no ano anterior.

Por outro lado, a Altri reforçou o seu perfil exportador ao colocar nos mercados externos cerca de 90% do total da sua produção. O principal destino das vendas da Altri continua a ser a Europa, que excluindo Portugal representou 70% das vendas. O segundo mercado mais relevante foi a China, sendo o destino de 9% do total das vendas.

O exercício ficou ainda marcado pelo forte investimento nas suas unidades de produção e na aquisição da totalidade do capital da Bioelétrica e das suas subsidiárias, que se dedicam à produção de energia eléctrica através de biomassa florestal.

Receitas de 784,8 milhões de euros

As receitas totais da Altri atingiram 784,8 milhões de euros, valor que corresponde a um aumento de cerca de 18% face a 2017, em virtude da maior capacidade de produção demonstrada pela empresa em 2018, tendo ultrapassado 1.097 mil de toneladas produzidas, das quais 104,3 mil de pasta solúvel.

O preço médio de mercado da pasta papeleira no ano passado foi de 879,4 €/tonelada, representando um aumento de 21% face ao preço médio registado um ano antes.

Produtores de papel tissue são os principais clientes da Altri

Em termos de utilização da pasta os produtores de papel tissue são os principais clientes da Altri com uma quota de 48%, seguindo-se os produtores de especialidades e os produtores de papel gráfico de impressão e escrita, com quotas de mercado de 22% e 21%, respectivamente.

Os produtores de filamentos de viscose – consumidores de pasta DWP – representam cerca de 9% das vendas.

Lucro de 195 milhões de euros

Em 2018, o resultado líquido da Altri atingiu, no exercício de 2018, cerca de 195 milhões de euros, valor que compara com os 96 milhões registados um ano antes. Em 2018, a empresa o investimento líquido total foi de 102,8 milhões de euros, dos quais 46,8 milhões de euros são relativos à construção da nova central de biomassa na Figueira da Foz.

Mercado da pasta de papel

De acordo com os dados do Pulp and Paper Products Council (PPPC), World Chemical Market Pulp Global 100 Report, em 2018 a procura total de pastas hardwood cresceu cerca de 0,4%, o que se materializou num crescimento incremental absoluto de 0,35 milhões de toneladas.

No entanto, a travagem do consumo foi muito acentuada no mês de Dezembro de 2018, mês cuja procura de pastas hardwood ascendeu a 2,8 milhões de toneladas, o que corresponde a um decréscimo de 18% face à procura registada no mês de Dezembro de 2017.

O 4.º trimestre de 2018, em termos de evolução do preço da pasta BHKP, ficou caracterizado por uma tendência de descida, tendo o preço médio atingido 1.045 USD/ton, o que compara com um preço médio de mercado (PIX) no 3.º trimestre de cerca de 1.050 USD/ton, explica um comunicado da empresa.

Renováveis de base florestal

A Altri é um produtor europeu de referência de pasta de eucalipto. Para além da produção de pasta, o Grupo está também presente no sector de energias renováveis de base florestal, nomeadamente a co-geração industrial através de licor negro e a biomassa.

A estratégia florestal assenta no aproveitamento integral de todos os componentes disponibilizados pela floresta: pasta, licor negro e resíduos florestais.

80 mil hectares de floresta em Portugal

Actualmente, a Altri gere cerca de 80 mil hectares de floresta em Portugal, integralmente certificada pelo Forest Stewardship Council (FSC) e pelo Programme for the Endorsement of Forest Certification (PEFC), dois dos mais reconhecidos mecanismos de certificação florestal a nível mundial.

Actualmente, a Altri detém 3 fábricas de pasta em Portugal, com uma capacidade instalada que em 2018 superou 1 milhão de toneladas/ano de pastas de eucalipto.

Investimento de interesse estratégico

O Grupo Altri, através das suas subsidiárias Celbi e Celtejo, celebrou com o Estado Português, representado pela AICEP, no início de 2017, dois contratos de investimento considerados de interesse estratégico para o País pela inovação introduzida, pela criação e qualificação de postos de trabalho e ainda pelo desenvolvimento das regiões de implantação das unidades industriais, tendo sido concedidos incentivos financeiros e fiscais aos projectos em questão.

O montante do investimento contratado na Celbi foi de 40 milhões de euros e tem por finalidade melhorias ao nível do processo produtivo, nomeadamente no descasque e destroçamento de madeira e na lavagem e branqueamento de pasta.

Na Celtejo o montante do investimento contratado foi de 85 milhões de euros e tem como objectivo a inovação e a sustentabilidade económica e ambiental da unidade fabril com intervenções ao nível da caldeira de recuperação, instalação de redução de vapor e estação de tratamento de águas residuais industriais.

Agricultura e mar Actual

Verifique também

Élio Ventura: Sector da carne nos Açores deve prosseguir caminho de qualificação

O Director Regional da Agricultura, José Élio Ventura, afirmou que, apesar da evolução muito significativa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.