Início / Apoios e Oportunidades / Apoios Comunitários / Açores: Grupos de Acção Local da Pesca abrem candidaturas para projectos em comunidades costeiras

Açores: Grupos de Acção Local da Pesca abrem candidaturas para projectos em comunidades costeiras

O secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, 13 de Fevereiro, na Horta, que o Governo dos Açores “coloca muita confiança” nas iniciativas de Desenvolvimento Local de Base Comunitária (DLBC), que têm como objectivo o surgimento de actividades nas comunidades piscatórias, “numa altura em que é necessário encontrar rendimentos alternativos à pesca e novas formas de dinamização das comunidades costeiras”.

Gui Menezes, que falava aos jornalistas à margem de uma reunião com os Grupos de Acção Local (GAL) da Pesca, salientou que “os actores que mais vivenciam o dia-a-dia nas comunidades piscatórias estão mais capacitados para desenvolver estratégias alternativas de rendimento”.

Recuperação de aspectos culturais e patrimoniais

Neste sentido, o secretário Regional apontou áreas como a valorização e a capacitação dos activos das comunidades costeiras, mas também “a recuperação de alguns aspectos culturais e patrimoniais” dessas comunidades que possam “ser valorizados, por exemplo, para o turismo, e que tragam mais rendimento”.

Gui Menezes afirmou que o encontro de hoje dos três Grupos de Acção Local da Pesca nos Açores tem como objectivo “fazer o ponto de situação” sobre o processo, referindo que o GAL Pesca ‘Grater Mar’ está mais adiantado, “tendo já as candidaturas abertas”.

“O que se pretende com esta reunião é aferir as dificuldades e as dinâmicas que estão a ser construídas, e que os GAL Pesca possam trocar experiências entre si”, disse, referindo que, “neste momento, estão a ser implementadas as equipas técnicas que vão coordenar os projectos de cada Grupo de Acção Local”.

Primeira experiência do género na Região

“Foi um processo com um início um bocadinho difícil porque é a primeira experiência do género na Região, mas agora [os GAL Pesca] estão a uma velocidade cruzeiro”, disse.

No último quadro comunitário de apoio à pesca (2007-2014) foram criados em Portugal continental 13 Grupos de Acção Local da Pesca, que levaram à criação de dois mil empregos, directos e indirectos, em áreas como a biotecnologia, a transformação, o turismo e lazer, a comercialização e a valorização de produtos, entre outras.

“Gostaríamos de prosseguir nos Açores com exemplos e uma dinâmica que nos possa levar aos objectivos definidos, ou seja, à criação de mais emprego e mais rendimento nas comunidades piscatórias”, frisou o secretário Regional.

3 Grupos de Acção Local da Pesca

Formalmente, foram criados, em Maio de 2018, três Grupos de Acção Local da Pesca, dois anos depois de o Governo dos Açores ter começado a desenhar a forma de implementar medidas DLBC no sector.

Os três GAL Pesca açorianos são o ‘Adeliaçor Mar’, cujo território de intervenção são as ilhas do Corvo, Flores, São Jorge, Pico e Faial, o ‘Grater Mar’, que abrange a Graciosa e a Terceira, e o ‘Maraçores Oriental’, cujo território de intervenção são as ilhas de São Miguel e Santa Maria.

No âmbito das medidas DLBC, serão injectados, no total, quatro milhões de euros no sector da pesca dos Açores, através do Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP) e do Orçamento da Região.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Ponte de Lima organiza 1.ª Conferência Internacional sobre Sidras e Bebidas do Pomar

O município de Ponte de Lima vai promover a Sidra Talks – 1.ª Conferência Internacional …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.