Início / Apoios e Oportunidades / 30 M€: FEI, IFD e Faber juntos na Web Summit para apoiar startups de software centradas em dados

30 M€: FEI, IFD e Faber juntos na Web Summit para apoiar startups de software centradas em dados

O Fundo Europeu de Investimento (FEI) e a Instituição Financeira de Desenvolvimento (IFD) assinaram um compromisso de 15 milhões de euros no Faber Tech II, um novo fundo early-stage que irá investir em startups ibéricas em fase inicial que desenvolvam software em torno de dados.

Este é o quarto compromisso com fundos portugueses no âmbito do programa Portugal Tech, a parceria de venture capital entre o FEI e a IFD anunciada pelo primeiro-ministro português, António Costa, há um ano na abertura da anterior edição do Web Summit.

Atrair capital privado

Criado para apostar em fundos portugueses e com o objectivo de atrair capital privado para o mercado de capital de risco, o PORTUGAL TECH é financiado pelo Governo português através da IFD, e por recursos da União Europeia através do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos, o principal pilar do Plano de Investimento para a Europa, também conhecido como Plano Juncker.

Comentando esta iniciativa, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, referiu que “o governo português está muito satisfeito em lançar um novo fundo focado em startups na Web Summit. Investir em capital de risco é de vital importância na nossa estratégia para melhorar as ferramentas financeiras disponíveis para as empresas promissoras do ecossistema português”.

Plano Juncker

Também presente na assinatura, o Comissário Europeu Carlos Moedas afirmou que “o Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (Plano Juncker) mostra, mais uma vez, o seu valor acrescentado no apoio à economia portuguesa e ao seu ecossistema de inovação. Assim, Portugal permanece entre os cinco principais beneficiários do Plano Juncker, que dedica mais de 25% do seu financiamento a projectos de research e inovação. O acordo assinado hoje na Web Summit contribui para aumentar os investimentos realizados em Portugal. Ao co-financiar este fundo de venture capital, estamos a fortalecer a inovação na Europa, e a ajudar na criação de futuros produtos e serviços, inovadores em Portugal”.

Grupo BEI

O chefe da representação do Grupo BEI em Lisboa, Kim Kreilgaard, acrescentou que “estamos muito satisfeitos por apoiar o lançamento de um novo fundo no âmbito do PORTUGAL TECH, destinado a colmatar as falhas de mercado no segmento early stage em Portugal. Este acordo contribuirá para fortalecer o sector de capital de risco português, apoiando empresas inovadoras. A Web Summit representa o local ideal para assinar esse acordo”.

Por sua vez, o director executivo do FEI, Pierluigi Gilibert, comentou que “graças à parceria estabelecida com a IFD, o FEI beneficia agora de um conhecimento mais amplo no acesso ao ecossistema português de capital de risco. Este é outro marco importante na nossa parceria com a IFD e o quarto compromisso conjunto do Portugal Tech”.

Portugal Tech

Já o presidente executivo da IFD, Henrique Cruz, referiu que “é de enaltecer o curto espaço de tempo entre a assinatura do programa Portugal Tech e a realização de investimentos em empresas portuguesas de base tecnológica, bem como a grande alavancagem dos fundos públicos. Congratulamos a adesão da FABER ao programa, esperando o maior sucesso na sua estratégia de investimento com os níveis de rentabilidade adequados”.

Por outro lado, o managing partner da Faber Capital, Alexandre Barbosa, disse que a “Faber foi fundada com uma missão de longo prazo: ser a melhor empresa de micro-VC em estágio inicial na Península Ibérica, ajudando os fundadores a desenvolver empresas globais de tecnologia de sucesso. Temos a honra de contar com o FEI e a IFD como investidores-âncora do nosso novo fundo, que desta forma validam a nossa proposta de valor diferenciada. Esperamos poder apoiar em conjunto um novo portefólio de empreendedores audazes – o nosso enfoque de estágio / tecnologia e abordagem de valor agregado preenchem uma lacuna no sul da Europa e acreditamos que estamos bem posicionados para sermos investidores iniciais na próxima geração de startups de software centradas em dados a uma escala ibérica”.

Faber Tech II

O FEI, braço do Grupo BEI especializado em capital de risco, e a IFD, banco de desenvolvimento português, irão, cada um, investir 7,5 milhões de euros neste fundo, esperando-se que a Faber mobilize 15 milhões de euros adicionais de investidores institucionais e privados.

O Faber Tech II é um fundo early-stage, focado em apoiar os principais empreendedores que desenvolvem software em torno da gestão de dados (Inteligência Artificial, Machine Learning, Big Data) para transformar e guiar as indústrias.

O fundo será gerido a partir de Lisboa pela Sociedade de Capital de Risco Faber Capital, uma equipa independente e liderada por empreendedores que irão seleccionar, investir mais de 20 startups durante os próximos 5 anos.

Com uma proposta de valor diferenciada, este novo fundo baseia-se na bem-sucedida experiência de investimento da equipa, inicialmente através de um veículo de investimento “super-angel”.

O track record da equipa de gestão (Alexandre Barbosa, Sofia Santos, Rui Carvalho e Carlos Silva) demonstrou a sua capacidade em aceder às mais promissoras oportunidades que surgem no ecossistema tecnológico e de capital de risco em Portugal, tendo assumido o papel de primeiros investidores locais em empresas inovadoras de sucesso como Unbabel, Codacy, Seedrs (co-fundada por Carlos Silva) e Hole 19.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Nuno Russo defende que “é necessário criar estratégias que incluam a saúde humana, animal e o meio ambiente”

O secretário de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Rural, Nuno Russo, participou hoje, 19 …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.