Início / Agricultura / 11 passos para ter uma horta de sucesso

11 passos para ter uma horta de sucesso

Artigo de opinião de Sara Couto, Engenheira Agrónoma e autora do blog Um Deserto a Florir

Antes de começar uma horta há que avaliar primeiro o que pretende com aquele espaço que tem no quintal. Numa horta bem organizada e limpa consegue retirar alguns legumes de época, abastecer despensa e, assim poupar alguns euros na mercearia. Sem falar que dos benefícios para o corpo e mente devido ao contacto com a natureza.

O primeiro passo para ter uma horta bem-sucedida passa pela calendarização das plantas.

1. Calendário das plantas

Cada mês ou estação do ano têm as suas condições específicas para as plantas: a disponibilidade em luz (radiação solar), chuva (precipitação), calor (amplitudes térmicas), humidade e pressão entre outros. Estes factores dividem as plantas em espécies de Inverno, Verão ou meia estação.

Para os meses de Outubro e Novembro as espécies de plantas ideais são:  agrião, espargos, couves, beterrabas, alhos, ervilhas, favas, lentilhas, nabos, rabanetes, cenouras, espinafres, brócolos, repolho, acelgas, alface de inverno, tremoço, batata, morangos e cebolas.

Escolhidas as espécies a plantar ou semear à que colocar mãos à terra.

2. Preparação da horta

O primeiro passo é limpar o terreno, ou seja, retirar tudo da cultura anterior para que haja o mínimo de restolhos e rebentos a competir com as espécies que irão ser colocadas. Há a prática de aplicar herbicida ao solo nesta fase de forma a eliminar as sementes das infestantes. Quando se trata de uma horta de pequena dimensão com a finalidade de auto-sustento pode sempre substituir pela passagem de uma ferramenta anti-ervas para as entrelinhas.

3. Mobilização do solo

A mobilização do solo não é nada mais que movimentarmos e reviramos as camadas do solo de forma a promover o arejamento, porosidade e a permeabilidade. Ao longo das campanhas a terra torna-se mais dura (mais compacta) e isso contribui para o lixiviamento dos nutrientes dificultando o crescimento das raízes para absorção de nutrientes e ancoragem. Para isso e como sugestão para canteiros e áreas pequenas opte por enxadas ou moto fresas. Para além de revirar o solo também ajuda na limpeza dos restolhos.

4. Nutrição

O solo é a casa das nossas plantas por isso há que enriquecer la para que a nossa horta tenha o máximo de nutrientes disponíveis. Deste modo aplique chorume de coelho e galinha em todo o canteiro, ao contrário que pensam não cheira assim tão mal. Há plantas que são indicadoras de fertilização, um exemplo clássico são as urtigas que surgem em solos ricos em azoto e férteis.

5. Aplicação de composto

O composto quando aplicado e misturado com o solo para além de melhorar a estrutura deste também ter acção transporte entre os micro e macronutrientes e a planta e efeito tampão. Pode sempre optar pelos compostos comerciais ou então aproveitar um espaço na horta para elaborar o compostor. Há no mercado compostores disponíveis e de preço acessíveis e depois é só colocar material verde (folhas, frutos, cascas dos legumes, restolhos) e material castanho (madeira, serrim, restos de poda) às camadas e regando em frequência de forma a não criar maus cheiros. Quando o interior tiver o aspecto de terra significa que o composto está pronto “alimentar” o solo e as plantas.

6. Correção do pH

Por norma os solos a norte do país são ácidos e por essa razão há necessidade de corrigir o pH visto que as plantas absorvem um maior número de nutrientes em solos neutros. Deste modo para corrigir o pH pode comprar num horto perto de casa o kit do teste do pH do solo. Para corrigir o pH mistura-se um pouco de terra com água destilada e mergulha-se o indicador na solução. Depois é só comparar a cor obtida com a do gráfico incluído no kit.

7. Orientação da horta

Como no Inverno o sol é um pouco mais fraco, há menos radiação solar à que colocar as plantas viradas para Sul. Se não souber para onde estão os pontos cardeais basta olhar para o quintal e ver qual a zona que recebe mais horas de sol e, é aí que a horta deve estar. De forma geral no Outono e Inverno as plantas da época têm a mesma necessidade de horas de radiação daí a designação de plantas de Outono-Inverno.

8. Sistema de rega

Um sistema de rega numa horta traz sempre várias vantagens seja pela economia de água e tempo. Neste caso e como caminhamos para uma estação que é abundante em água (na maioria das zonas do país) pode só activar o sistema de nebulização em alturas em que há previsão de geadas. Assim as micro gotas de água aumentam a humidade do ar e a baixa temperatura não necrosa as plantas. Se tiver um inverno mais seco pode sempre activar o sistema para que as plantas não entrem em deficit hídrico.

9. Sementes e plantas

Após a selecção de espécies para a horta há que proceder à análise do espaço disponível de forma a não erras as quantidades de sementes e plantas de forma a possibilitar uma época de colheita mais prolongada.

Uma regra de ouro para os principiantes: opte por plantações no local definitivo com uma semana, 15 dias e um mês de diferença de forma a poder colher os mesmos produtos por mais tempo. Eu sei que quem inicia uma horta quer apreciar desta de uma forma rápida, ou seja, caem no erro de comprar muitas plantas. Mas o ideal não é essa prática, mas sim ir enchendo canteiros a canteiros com as espécies.

10.Intervalos entre linhas

Esta componente é muito importante para que todas as plantas tenham igualmente a mesma disponibilidade em água, sol e nutrientes. Deste modo coloque as plantas com uma distância de 30 cm (aproximadamente uma mão) entre elas e um braço entre linhas. Por outro lado, e como se trata de plantas de inverno não criam uma rama abundante como acontece com as abóboras, meloas, melancias à excepção das favas e feijão que necessita de ser tutorado.

Dica: opte por plantas prontas a transplantar de forma a evitar a crise de germinação/crescimento. Mas crie uma sementeira aproveitando as cuvetes ou mottes das campanhas anteriores. Neste caso opte por uma motte que tenha abrigo, ou seja que recrie uma mini estufa no caso de não ter um espaço ensolarado e livre de pássaros. Por outro lado, pode sempre semear no local definitivo as sementes, mas deve igualmente criar um estufim ou mini estufa para que as estas germinem de forma homogénea, sem grandes variações de temperatura.

11. Cobertura de solo

Colocadas as espécies na terra há que criar um sistema que controle as infestantes sem a necessidade de aplicar herbicidas. Para isso opte por aplicar um mulching na entrelinha da horta. O mulching é uma camada de matéria vegetal morta sobre o solo que pode ser feita com palha, relva cortada ou outro material biodegradável. Outra opção é a tela anti ervas que permite as infestantes não germinam, mas é necessário cortar para colocar a cultura. Trata-se de uma solução um pouco mais cara que o mulching, mas muito usado em jardins. De uma forma homogénea ambas as opções permitem a planta desenvolver no terreno.

Desfrutar da horta

Este é o ponto essencial deste projecto: o prazer em desfrutar da nossa horta e se possível juntar toda a família nesta tarefa.

Aqui ficaram as 11 dicas essenciais que contribuem para sucesso de uma horta familiar.

Agricultura e Mar Actual

Verifique também

Açores mantém vigilância a eventuais novos focos da doença hemorrágica viral nas populações de coelho-bravo

A Secretaria Regional da Agricultura e Florestas dos Açores, através da Direcção Regional dos Recursos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.